Blog

PIX: Saiba o que é e como funciona essa nova ferramenta de pagamentos!

13 de outubro
Criado pelo Banco Central, o PIX é um meio de pagamento eletrônico que consiste em fazer transações bancárias em tempo real e com menor custo. No momento em que o pagamento for realizado ele é imediatamente transferido para o recebedor. Além disso o sistema não tem limite de horários ficando disponível todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados permitindo pagamentos a qualquer momento.
 
Já estão sendo cadastrados os usuários e o sistema tem previsão de entrar em operação, em fase experimental a partir de 03 de novembro com um número reduzido de clientes estando aberto para toda a população a partir de 16 de novembro.
 
O sistema promete ser seguro, prático e mais barato.
 
Quais as transferências eletrônicas entre contas bancárias disponíveis até a chegada do PIX?
O DOC (documento de ordem de crédito) limita o valor da transferência em R$4.999,99 e o valor só é transferido no dia útil seguinte, para transações feitas até as 21h59. Depois desse horário, o dinheiro só vai para conta do recebedor no segundo dia útil. Nem todos os bancos permitem transferências para poupança nessa modalidade, no entanto depois de efetuado permite cancelamento.
 
A TED (transferência eletrônica disponível) não possui limite de valor e a transferência é rápida se for realizada antes das 17 horas, se for realizada depois desse horário aparecerá na conta do recebedor somente no dia seguinte. Permite transferências para poupança, no entanto depois de efetuado não permite o cancelamento.
 
Em ambos os casos se algum dado do recebedor for errado no dia seguinte o dinheiro retorna para sua conta.
 
Como funciona o novo meio de pagamento instantâneo PIX?
O PIX usará opções mais simplificadas onde a transferência de valores poderá ser realizada através de uma chave de identificação, como telefone, CPF, CNPJ, e-mail ou um código de 32 dígitos gerado especificamente para o PIX (EVP); por meio de QR Code e através de tecnologias por aproximação, como a Near-Field Comunication (NFC) e dispensará no momento da transferência de informações como nome, CPF, agência e conta. Todas as movimentações passarão por uma base de dados única e centralizada, gerenciada pelo Banco Central, funcionando 24 horas por dia podendo se fazer transferências tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas.
 
Na geração das chaves, duas instituições diferentes não poderão fazer uso dos mesmos dados: se você utilizou o CPF em um banco, é necessário usar o telefone, o endereço de e-mail ou código personalizado em outra instituição. Cada chave PIX só poderá ser registrada em uma única conta pois o código vai funcionar como o local de entrega dos valores transacionados e caso você queira alterar a conta em que uma chave PIX está associada, será necessário fazer a portabilidade de chaves.
 
Na prática, para fazer um pagamento pelo PIX é preciso ler o QR Code gerado pelo recebedor ou estabelecimento que realizou a venda através da câmera do seu celular e através de um aplicativo realizar o pagamento ou então informar uma das chaves do recebedor.
 
A chave serve para facilitar o recebimento de um PIX, mas existe também a opção de digitar manualmente os dados da conta transacional do usuário recebedor, como ocorre hoje para iniciar uma TED ou DOC.
 
O cadastro do PIX deve ser feito diretamente com a instituição financeira ou plataforma de pagamento que você possuir sua conta. O Banco Central determina que deverá haver gratuidade na cobrança de tarifas em transferências entre pessoas físicas. Para pessoas jurídicas os bancos poderão cobrar uma taxa por lotes de transferência e poderão ser cobradas tarifas para as pessoas físicas caso o sistema seja utilizado como recebimento de vendas e a tarifa será definida pela própria instituição. 
 
O serviço de iniciação de transação de pagamento não está isento de tarifas, inclusive para pessoas físicas. Todas as transações serão criptografadas e protegidas por sigilo bancário trafegando na Rede do Sistema Financeiro Nacional garantindo a segurança do processo.
 
Para saber quais instituições já aderiram ao novo sistema, clique aqui!
 
Para saber quais são as taxas aplicadas aos serviços oferecidos pelas instituições bancárias, clique aqui.
 
O PIX causará impacto nas empresas, podemos esperar agilidade em relação a logística, visto que somente após a confirmação do pagamento é que dá início a entrega do pedido. Reconhecido o pagamento rapidamente a empresa poderá acionar sua cadeia logística e proceder a entrega, permitindo também para quem recebe organizar seu estoque por demanda.
 
Outro fator é que o custo de adesão será menor que dos demais meios eletrônicos. Os recursos serão disponibilizados com maior velocidade, o que tende a reduzir necessidade de crédito.
 
Qualquer transação de pagamento poderá ser feita por PIX, independentemente de suas características, poderão ser realizadas transferências entre pessoas, pagamento de taxas e impostos, compra de bens ou serviços, inclusive no comércio eletrônico e pagamento de fornecedores. A única condição para que a operação se concretize é que o recebedor aceite o PIX.
 
Para mais informações você pode clicar aqui!
Voltar

Quer um orçamento? Possui alguma Dúvida?

Fale conosco!
Faça um orçamento